Quedas na Terceira Idade: Perigos e Medidas a Serem Adotadas

As quedas representam um grande risco para a saúde e autonomia das pessoas da terceira idade. A SBAIT, Sociedade Brasileira de Atendimento Integrado ao Traumatizado, aponta que a cada segundo em todo mundo pelo menos uma pessoa idosa sofre algum tipo de queda, seja na rua ou em domicílio.

Outros estudos apontam que cerca de 30% dos idosos com idade igual ou superior à 65 anos sofrem uma queda ao ano, já para os idosos com 80 anos ou mais os números podem chegar a 50%, além das quedas acontecerem com mais frequência. 

As  quedas na terceira idade podem reduzir a autonomia do idoso e até mesmo contribuir para a diminuição da expectativa de vida dessa população. A fratura no fêmur, que é o maior osso do corpo humano, é uma das principais consequências das quedas e o rompimento desse osso pode acarretar em sérios danos para a saúde e bem-estar do idoso. 

Neste artigo, separamos todas as informações necessárias acerca das quedas na terceira idade, além disso apontamos quais as maiores causas desse tipo de acidente e quais as atitudes necessárias para evitá-las.

Maiores causas de quedas na terceira idade

Os fatores relacionados ao envelhecimento como, por exemplo, perda de visão, diminuição da coordenação motora e fraqueza muscular são alguns dos fatores que podem causar as quedas na terceira idade.

Um apoio pode ser fundamental na recuperação ou como medida preventiva as quedas

As quedas são acidentes graves que podem ocasionar em lesões, fratura no fêmur, fraturas nos membros superiores e, alguns casos, podem ser letais. Além disso, as quedas ainda podem provocar sequelas que prejudicam a autonomia do idoso.

Segundo registros entre o público da terceira idade, as mulheres são as mais afetadas com quedas, a razão disso está no fato de que elas possuem a tendência a desenvolverem doenças que podem aumentar o risco de quedas como é o caso do diabetes e artrose.

De que forma as quedas influenciam na autonomia do idoso?

A autonomia dos idosos é reduzida com a chegada da idade e, na maioria dos casos, as quedas são um reflexo da capacidade reduzida do idoso, uma vez que a mobilidade da pessoa na terceira idade se torna mais difícil. 

Além das lesões, o idoso poderá enfrentar outros problemas devido a falta de autonomia e mobilidade, no período de recuperação do idoso após um episódio de queda podem surgir doenças como, por exemplo, pneumonia, infecção urinária, osteoporose, problemas gastrointestinais, AVC, acúmulo de secreção pulmonar e ainda pode provocar casos de demência.

O psicológico de um idoso que sofre algum tipo de queda também é afetado, nestes casos a Síndrome do Pós Queda e a Ptofobia, receio ou medo de ficar em pé e andar, se desenvolvem e prejudicam ainda mais a qualidade de vida desses idosos. 

A Síndrome do Pós Queda pode ser descrita como um medo de andar novamente, isso acontece por que o idoso sente receio de cair novamente e, portanto, andar causa um certo pavor descontrolado no idoso.

Sendo assim, a autonomia do idoso é muito afetada após um evento de queda e provoca uma série de mudanças comportamentais como é o caso das mudanças ao andar, diminuição no equilíbrio e dificuldade na realização de tarefas simples. Além disso, o idoso que sofre com a Síndrome Pós Queda possui a tendência ao isolamento o que pode levar a casos de depressão se não houver o devido tratamento deste problema. 

Como evitar com que as quedas aconteçam?

As quedas na terceira idade representam grande perigo à saúde e bem-estar dos idosos, no entanto esse problema pode ser evitado com simples mudanças de hábitos no ambiente que o idoso habita a fim de promover maior segurança e também no estilo de vida levado pelo mesmo.

O idoso deve seguir uma rotina de atividades que o mantenham ativo e saudável, veja os exemplos a seguir:

  • Realizar atividades físicas moderadas que proporciona fortalecimento muscular e desenvolvimento da flexibilidade;
  • Prezar por uma alimentação saudável e manter-se hidratado;
  • Estar com exames médicos e consultas sempre em dia.

Em relação à casa onde o idoso reside, é necessário que sejam feitas alterações que permitam que o idoso circule em todos os ambientes com facilidade e segurança. 

A casa deve ser apartada da seguinte forma:

  • Cômodos sempre iluminados para evitar tropeços e possíveis lesões;
  • Redução do número de móveis e objetos para que a mobilidade não seja afetada;
  • O piso deve ser, preferencialmente, de material antiderrapante;
  • A altura dos móveis deve ser ajustada para as necessidades do idosos;
  • Barras de apoio em locais como, banheiro, paredes, ao lado da cama, entre outras, podem ser instaladas para facilitar a locomoção do idoso.

Apesar de todas as intervenções que podem ser feitas para evitar as quedas na terceira idade, sempre haverá a possibilidade de um acidente acontecer, nesses casos é fundamental que se saiba como contornar a situação, prestar primeiros socorros de maneira de frágil, de forma a evitar que o idoso tenha sequelas.

Inclusive, após o acidente, é importante que o idoso receba apoio da família e que não se sinta pressionado sobre a queda, uma vez que o medo da queda pode provocar graves danos à qualidade de vida do idoso. A família deve permitir que o idoso realize atividades, respeitando sempre suas condições, para que a autonomia e convívio social do mesmo não seja afetada.

Você tem algum relato sobre como uma queda pode afetar a vida na Terceira Idade? Compartilhe conosco! [email protected]

Amamos Receber E-mails!

Post anterior
Exercícios para idosos: Movendo-se para um futuro melhor
Próximo post
As Quedas na 3ª idade e a Diminuição na Qualidade de Vida

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.
Você precisa concordar com os termos para prosseguir

Menu